LatinMed - 23/11/2022 Banner Principal 402

Trabalho híbrido ou remoto? Conheça os principais benefícios que tornaram esse modelo de trabalho uma tendência e seus desafios

  • Ícone Facebook Facebook
  • Ícone Twitter Twitter
  • Ícone Linkedin Linkedin
  • Ícone Whatsapp Whatsapp
  • Ícone Email Email

No Brasil, 56% das empresas já adotaram o sistema de trabalho híbrido, segundo pesquisa realizada pelo Google Workspace em parceria com a IDC Brasil. A mudança tem demonstrado melhora na produtividade dos colaboradores, no entanto, o sistema não está livre de desafios.

Os trabalhos híbrido e remoto ganharam força com a pandemia da Covid-19. Com a necessidade do isolamento e distanciamento social, funções que poderiam ser executadas de qualquer lugar do mundo, com o uso do computador ou celular, conquistaram os trabalhadores.

Apesar de mais da metade das empresas já adotarem o sistema híbrido, cerca de 58% dos trabalhadores presenciais consideram a mudança no estilo de trabalho para híbrido para os próximos anos, segundo a mesma pesquisa. Continue a leitura e saiba mais por que essa tendência vem se tornando realidade.

Diferentes formas de trabalho remoto

O trabalho remoto pode ser de duas diferentes modalidades:

100% remoto

Trabalho realizado totalmente fora da empresa. Apesar de algumas empresas possuírem escritório físico e disponibilizarem para aqueles que queiram trabalhar presencialmente, não há compromissos a serem cumpridos no escritório.

Híbrido/parcialmente remoto

Nessa modalidade, o funcionário trabalha alguns dias na empresa. Ela é bastante utilizada por empresas em transição de presencial para remoto. Apesar da obrigatoriedade de alguma frequência presencial, essa frequência é negociada a depender das demandas e do perfil da empresa, podendo ser alguns dias na semana, mensalmente e outros. Outra diferença para essa modalidade é que há possibilidade de o funcionário ter plena liberdade para frequentar o escritório.

5 benefícios do trabalho remoto/híbrido

Após mais de dois anos em que os trabalhos remoto e/ou híbrido têm se mostrados os modelos que deverão continuar vigorando no mercado, ainda vale analisar as razões disso.

1.Economia de tempo

A fuga do trânsito, conquistada com a desobrigatoriedade de descolocamento até a empresa, além de salvar o tempo desperdiçado, reduz os gastos com meio de transporte, combustível e manutenção frequente dos veículos.

2.Aumento da proximidade com a família

O trabalho em casa permite a proximidade com a família, favorecendo a melhora da qualidade de vida e felicidade. Isso faz com que o funcionário trabalhe melhor e mais satisfeito.

3.Otimização de custo

Benefício tanto para o empregador quanto para o funcionário. Para o funcionário, a economia gira em torno do transporte, da alimentação e outros. Para o empregador, há redução de gastos com instalações físicas.

4.Maior criatividade

A liberdade que o trabalho remoto oferece permite maior criatividade, pois em um local confortável é mais fácil relaxar e exercitar a mente, além de propor soluções menos óbvias para alguns problemas.

5.Maior flexibilidade para equilibrar o trabalho e as exigências pessoais

A flexibilidade permite um melhor direcionamento de recursos e planejamento de tarefas, o que facilita a prática de atividades prazerosas, como exercitar-se ou outros hobbies. Além disso, é mais fácil regular o sono, o que também auxilia na melhora do bem-estar.

Dados de 2020 já indicavam que com o trabalho remoto houve aumento em até 40% de produtividade, 20% de redução de custos, menos 40% de faltas ao trabalho e até 15% a mais de faturamento dos negócios.

Recentemente, um estudo do Escritório Nacional de Pesquisa Econômica dos Estados Unidos evidenciou que o trabalho remoto reduziu o desgaste dos funcionários em 35%, além de melhorar a satisfação no trabalho. Os resultados também indicaram redução das horas trabalhas em casa, no entanto, houve aumento em outros dias e em finais de semana, indicando uma alteração estrutural no calendário de trabalho. Além disso, as promoções e a produtividade também foram impactadas de forma positiva.

Juntamente com esses benefícios, o sistema de trabalho híbrido e/ou remoto também apresenta seus desafios.

Desafios do trabalho híbrido

Os principais desafios estão relacionados com a qualidade psicológica e emocional dos trabalhadores, e com a comunicação menos dinâmica e espontânea. Essas consequências trazem preocupações quanto ao dano social causado pelo trabalho remoto, como:

  • Redução da conexão social;

  • Menor sentimento de pertencimento;

  • Menor senso de empatia;

  • Redução de relacionamentos sociais afetivos e;

  • Sedentarismo.

O cuidado e apoio à saúde física, mental e familiar foi essencial para o sucesso do trabalho híbrido. A cultura centrada no bem-estar demonstra o compromisso da empresa com a saúde do funcionário.

Com o surgimento repentino do trabalho remoto, os líderes precisaram reinventar a organização e a cultura dos setores para reforçar o engajamento. Também foi necessário alinhar as expectativas, os objetivos e as entregas.

Para os gestores e para a empresa, foi preciso adaptar o modelo de trabalho para as necessidades do trabalhador. Além disso, os investimentos em infraestrutura e tecnologias adequadas para suportar as demandas do funcionário no desenvolvimento das tarefas demonstra o apoio à transformação.

Considerando a importância da saúde, bem-estar e qualidade de vida dos funcionários, as empresas precisarão reavaliar as suas relações de trabalho. É preciso que a empresa conte com uma equipe de recursos humanos que planeje e promova o bem-estar dos funcionários de forma efetiva.

Segundo Márcia Agosti, médica, pós-graduada em Saúde Pública e Epidemiologia e em Saúde Ocupacional e consultora médica corporativa para a América Latina e Gerenciamento de Riscos à Saúde na General Eletric (GE), palestrante no 20º Congresso Brasileiro de Qualidade de Vida (CBQV), da ABQV:

...as pessoas precisam [do debate crítico] para sentirem-se melhor, mais fortalecidas, integradas, reconhecidas em sua humanidade e necessidades passa a fazer parte do dia a dia das empresas. Contextualizá-las em sua realidade social é um acelerador para a promoção de um desenvolvimento sustentável e pode levar oportunidades de transformação a todo um grupo familiar”.

O 20º Congresso Brasileiro de Qualidade de Vida apresentou 9 eixos temáticos baseados no mundo de trabalho híbrido:

  • Governança e Liderança Integração ESG e ODS;

  • Inovação e tecnologia;

  • Autogerenciamento da saúde;

  • Cidadania digital;

  • Saúde mental e fatores psicossociais do trabalho;

  • Felicidade e espiritualidade;

  • Crises e seus impactos na qualidade de vida;

  • Diversidade, Gênero e Inclusão;

  • Novas configurações do trabalho e impactos sobre a qualidade de vida.

Para enfrentar os desafios, a prevenção é peça-chave na superação de obstáculos. E parte da promoção do bem-estar do trabalhador virá, justamente, de programas de qualidade de vida e promoção da saúde.

Referências
LUZ, Alessandro. Colaboração é a chave: como superar os desafios do trabalho híbrido. Think with Google. Disponível em: https://www.thinkwithgoogle.com/intl/pt-br/estrategias-de-marketing/dados-e-mensuracao/trabalho-hibrido-pesquisa-brasil/. Acessado em novembro de 2022.

BLOOM, Nicholas; HAN, Ruobing; LIANG, James. How hybrid working from home works out. National Bureau of Economic Research, 2022. Disponível em: https://www.nber.org//files/working_papers/w30292/w30292.pdf. Acessado em novembro de 2022.

GRANATO, Luíza. 58% dos brasileiros querem mudar para o trabalho híbrido ou remoto em 2022. 2022. In: Exame. Disponível em: https://exame.com/carreira/58-dos-brasileiros-querem-mudar-para-o-trabalho-hibrido-ou-remoto-em-2022/. Acessado em novembro de 2022.

HILBERATH, Christoph et al. Hybrid Work Is the New Remote Work. Boston Consulting Group. 2020. Disponível em: https://web-assets.bcg.com/c6/fe/e4f521174360a21f280425a04613/bcg-hybrid-work-is-the-new-remote-work-sep-2020.pdf. Acessado em novembro de 2022.

KAUFMAN, Elizabeth. Remote Work Works—Where Do We Go from Here?. 2020. In: Boston Consulting Group. Disponível em: https://www.bcg.com/publications/2020/remote-work-works-so-where-do-we-go-from-here. Acessado em novembro de 2022.

KNIGHT, Caroline et al. The loneliness of the hybrid worker. MIT Sloan Management Review, v. 63, n. 4, p. 10-12, 2022. Disponível em: https://sloanreview.mit.edu/article/the-loneliness-of-the-hybrid-worker/. Acessado em novembro de 2022.

MORTENSEN, Mark; HAAS, Martine. Making the hybrid workplace fair. Harvard Business Review, v. 24, 2021. Disponível em: http://alanyc.org/wp-content/uploads/2021/02/Making-the-Hybrid-Workplace-Fair.pdf. Acessado em novembro de 2022.

SCHADE, Hannah M. et al. Having to work from home: Basic needs, well-being, and motivation. International Journal of Environmental Research and Public Health, v. 18, n. 10, p. 5149, 2021. Disponível em: https://www.mdpi.com/1660-4601/18/10/5149/htm. Acessado em novembro de 2022.

YANG, Longqi et al. The effects of remote work on collaboration among information workers. Nature human behaviour, v. 6, n. 1, p. 43-54, 2022. Disponível em: https://www.nature.com/articles/s41562-021-01196-4. Acessado em novembro de 2022.

ZANATTA, Pedro; BROTERO, Mathias. Modelo de trabalho híbrido é usado por 56% das empresas no Brasil, diz estudo. 2022. In: CNN Brasil. Disponível em: https://www.cnnbrasil.com.br/business/modelo-de-trabalho-hibrido-e-usado-por-56-das-empresas-no-brasil-diz-estudo/. Acessado em novembro de 2022.

 

Últimas Notícias